sábado, 19 de julho de 2008

O contra ataque silencioso

.

Nos últimos anos vimos a polícia federal ser equipada e ganhar apoio do governo para investigar.

Ela começou a prender pessoas importante. Ou melhor, "pessoas de bem".

Como seria o contra ataque?

O caso Dantas está desnudando a situação:

Ataques histéricos de revistas e jornais contra a PF e seus "métodos". Jornalistas do clube da impunidade não cansam de analisar com lupa o relatório da PF atrás de pequenas inconsistências, para debocharem e desmoralizarem a investigação.

Há TAMBÉM um ataque silencioso, muito mais fulminante. Tão importante que os mesmos jornais e revistas conservadores NÃO NOTICIAM. É o que você vai ler abaixo:






QUEM NÃO QUER QUE A POLÍCIA FEDERAL TRABALHE? PERGUNTA O JUÍZ.

O juiz federal Fausto Martin de Sanctis (foto), que por duas vezes determinou a prisão do banqueiro Daniel Dantas, afirmou ontem que a Operação Satiagraha pode ser a última megaoperação da Polícia Federal.


Segundo Sanctis, embora a sociedade não tenha percebido, estão em curso no Congresso mudanças no Código de Processo Penal que impedirão prisões preventivas, darão acesso antecipado às investigações aos próprios investigados e, entre outras medidas, tornarão afiançáveis os crimes de colarinho-branco. As mudanças entram em vigor a partir de agosto. “Estão inviabilizando as investigações, principalmente sobre crimes financeiros”, avaliou.

O juiz, que teria sido espionado pelo grupo de Dantas, disse ainda que a indústria dos grampos se instala no País, mas, em vez de coibir essa prática ilegal, o país prefere inviabilizar a ação da PF. Considerado um dos principais especialistas brasileiros em crimes de colarinho-branco e lavagem de dinheiro, Sanctis disse que a idéia de mudar o Código de Processo Penal para acelerar a Justiça foi deturpada, atendendo mais aos interesses de advogados.


Criticou duas novas leis que, segundo ele, irão "inviabilizar a investigação criminal no Brasil".
"Que interesse está por trás disso? Quem não quer que a Polícia Federal trabalhe? Se for assim, vamos fechar as portas da PF. Não dá para ter um órgão de faz-de-conta", afirmou o juiz.

Quando declarou isso, o juiz tratava especificamente das leis recentemente aprovadas no Congresso, a 11.689 e a 11.690, ambas de 2008, que modificam o Código de Processo Penal. A informação está hoje em vários jornais do País.

Diario Gauche


.

2 comentários:

Anônimo disse...

Avelino
Seguramente muitos tucanos estão de olho na próxima eleição para presidente, eles terão que desmontar a PF, se sobrar alguém para contar a história até lá, claro..
Saudações

Javiar disse...

O interesante é que não so os tucanos, são todos, cade a etica dos petista, é uma vergonha