quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Tudo tem limite, até a solidariedade

.

Hoje foi achado o corpo do brasileiro que morreu escalando uma montanha a Àfrica.

Ele estava viajando o mundo, depois iria para os EUA estudar.

Torci para ele ser encontrado com vida. Orei, como sempre faço, e em minhas preces pedia a Deus que ofertasse conforto para a família e iluminasse o rapaz.

Infelizmente ele morreu. Segue sua viagem para outro plano.

O problema são os que ficam.

Veja a opinião da mãe: "a mãe de Gabriel, Maria de Fátima Buchmann, reclamou da "falta de atenção do Itamaraty" e disse que gastou US$ 25 mil com as passagens da equipe de profissionais do Canadá que ajudava nas buscas".

O que ela quer dizer? Que o filho resolveu escalar montanhas na África e o prejuízo é do povo brasileiro? Que o filho dela merece até equipe de Canadenses para busca-los e quem deve pagar é o povo brasileiro?

Prefiro que este dinheiro seja usado para dar casa para uma família morar a vida inteira. Ou para equipar uma UTI. Ou para buscar alguém que está perdido no Brasil, gastando seu dinheiro em solo nacional.

A responsabilidade de quem busca aventuras é da própria pessoa. Ele é o responsável. Não dá para transferir responsabilidades.

Quando viajo para fora do Brasil faço seguro saúde para mim e minha família. Porque não é justo eu ir gastar meu dinheiro no exterior e se tiver algum problema bater nas portas do governo brasileiro para me pagar consulta médica FORA DO PAÍS.

Tudo tem limites.

Na matéria do UOL está descrito: "a assessoria do Itamaraty informou que foram contratadas 20 pessoas da região para ajudar a procurar Gabriel e um helicóptero cedido pelo governo da África do Sul participa das buscas pelo brasileiro".

Ou seja, o Itamaraty gastou uma grana procurando esta pessoa por mais de 2 semanas.

Eu entendo a dor de uma mãe que perde o filho.

Todavia devo dizer duas coisas que aprendi na vida. 1) Dinheiro não dá em capim, portanto temos que administrar bem o dinheiro público (que já é bem mal tratado pelos políticos). 2) Ninguém é inocente. Se o rapaz que desapareceu na África tinha seus sonhos, todos os brasileiros tem os seus também. Portanto a responsabilidade NÃO deve ser repassada para ninguém.

Imagine o gasto que vamos ter se todo brasileiro que tiver problemas no exterior exigir que o governo brasileiro busque especialistas no Canadá para resolver seus PRÓPRIOS problemas.

Tudo tem limites, até a solidariedade.



.

Um comentário:

Nene disse...

Nada mais oportuno do que o seu comentário....
Com certeza, para uma mãe, a pior dor é a perda do filho, mas convenhamos, pois se meu filho é um aventureiro, a responsabilidade fica totalmente por sua conta e os gastos também...