sexta-feira, 27 de junho de 2008

Economizando com a NÃO educação

.





O blog do Chicão vem denunciando a falta de MUITOS milhares de professores nas escolas estaduais de São Paulo.

No texto “educação: saibam como os conservadores lidam com ela” revelo que a estratégia do governo Serra é adiar ao máximo estas contratações para economizar BILHÕES DE REAIS.

Ele faz isto porque poucos ligam, de verdade.

Os jornais não noticiam.

Os principais interessados, alunos e pais dos alunos, também ficam quietos.

Assim este crime contra a educação pública no Brasil vai se perpetuando.

O Serra adota a mesma atitude que o Alckmin adotou. Não contrata professores, economiza Bilhões de reais e gasta este dinheiro em algumas obras e em MUITA propaganda.

Os donos dos meios de comunicação, com os bolsos cheios, retribuem repetindo exaustivamente a enganação de que eles são ótimos administradores.

Hoje gostaria de fazer um cálculo com vocês. Vamos calcular quanto o governo do estado economiza com a NÃO contratação dos milhares de professores.

O governo estadual anunciou que pretende fazer concurso para contratar 70 mil professores. Uma parcela será contratada para dar 10 horas/aula (metade do tempo médio dos outros professores da rede).

Suponhamos que o custo médio de cada professor (salário + benefícios) seja 1,2 mil reais (valor muito abaixo do real).

70 mil professores vezes 1mil reais = 84 milhões de reais/mês
84 milhões vezes 12 meses = 1 bilhão e 8 milhões
1 bilhão e 8 milhões vezes 4 anos = 4 bilhões e 32 milhões de reais.

ECONOMIA DE 4 BILHÕES E 32 MILHÕES DE REAIS COM não CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES (em 4 anos).

Como a efetivação da contratação de professores deverá ocorrer no fim de 2009, se tudo correr bem, a economia fica menor. Ficará na casa dos 3 bilhões de reais.

Volto a repetir: estou usando valores bem baixos, na realidade a economia é bem maior.

Esta economia enorme e a não reação da sociedade é que levou o Serra e o Alckmin a terem a mesma atitude no governo estadual de SP.

Na prefeitura de São Paulo a gestão Serra/Kassab fez algo semelhante. Economizaram com a NÃO contratação de professores até o último momento. Resultado: déficit de milhares de professores nas escolas municipais.

Se o Kassab ou o Alckmin ganharem a eleição para prefeito o sistema CONTINUARÁ. A partir de janeiro de 2009 os professores que pedirem demissão ou que aposentarem não serão repostos em sua totalidade. O que gerará falta de professores e economia de recursos.

Eles fizeram isto antes, estão fazendo isto agora e farão isto no futuro.


.

3 comentários:

Larissa Lisboa disse...

Gostei muito do texto. Realmente já estamos carecas de saber que PSDB não tem interesse algum na educação do Estado. Seus interesses não são com o povo mais sim com as empresas.
O que também não podemos nos enganar é que nos governos anteriores as coisas foram tão melhores assim. Mesmo tendo a mínima noção que no período de Marta Suplicy houve mudanças, dados quantitativos não são qualitativos. O que adianta colocar mais professores, abrir mais vagas para a escola continuar da mesma forma? Claro que, temos menos pessoas desempregadas, mas geralndo mais profissionais que não são capacitados para o ensino. por isso que, ao meu ver, uma grande reciclagem dos professores que hoje estão nos seus cargos seria, primeiramente, necessária. E que, a entrada de novos professores só acontecesse assim que fizessem esta reciclagem. E não só os professores, claro, mas sim todos os envolvidos dentro da escola e na própria política.

Abraços,
Larissa

Larissa Lisboa disse...

Esqueci do principal: Tudo o que disse, num país ideal e não nosso em que os interesses estão nas classes dominantes, onde os profissionais da Educação não estão inseridos.

farras_e_fumos disse...

O ponto é que a escola é, por definição, onde se formam os cidadãos conformados de amanhã, Larissa. Engana-se quem acha que a escola está aí para que se forme cidadãos críticos... a escola está aí para a manutenção do Estado (enquanto aparelho ideológico do mesmo), Estado este que está aí para a manutenção do sistema produtivo CAPITALISTA. Quando falo estado, não falo governo, vejam bem... não estou falando do Lula ou do Alckmin, estou falando de capitalismo... Enquanto isso não ficar bem claro na cabeça dos professores, nada se poderá para que se reverta a situação. Lari, leia "a educação para além do capital"... vale a pena! bjs, até. Ah, leia "aparelhos ideológicos do estado" também... dois livros capitais para entender a escola e oporquê dela sozinha não dar conta da "revolução". Saudações vermelhas.