sábado, 3 de janeiro de 2009

Insatisfação: a lógica do consumismo

.




Da boca para fora as pessoas associam consumo e bem estar. Um grande engano!

Ontem fui a um grande shoppingcenter. Estava lotado de pessoas. Algumas comprando, outras passeando.

Eu observei inúmeras famílias passeando. A cada loja que passavam exercitavam o desejo e a vontade. A maior parte ficava nisto, talvez comprando alguma coisinha.

Eu sentei num banco e ao meu lado duas senhoras começaram a conversar.

Uma reclamava que fazia muito tempo que não se encontravam. A outra respondeu que faltava tempo.

Dito isto, começaram a falar de televisão (várias novelas que assistem), falaram das lojas do shopping e do que cada uma vende, falaram de desgraças e doenças alheias e por fim se despediram com juras de se encontrarem em breve.

Eu fiquei impressionado com a conversa. As amigas não se encontram porque não tem tempo. Mas assistem umas 4 horas de televisão por dia e vão sempre passear no shopping.

A amizade fica em último lugar.

É algo doentio.

Da minha parte quase que cortei completamente a televisão. Minha prioridade é cultivar a amizade e cultivar o que os esotéricos chamam de "estar presente": parar de sonhar a aproveitar o que existe no momento.

"Estar presente" aumenta MUITO a satisfação. Com isto a necessidade de consumo diminui.

Que prazer saudável tem quem não é capaz nem de cultivar as amizades?

Que prazer saudável tem quem prefere se alienar em frente da televisão ao invés de cultivar o que há de bom e VERDADEIRO à sua volta?

Observe abaixo esta aparentemente humilde frase de um blog de assuntos femininos.

"Investir uma grana para comprar um biquíni lindão e, na hora de sair da praia, colocar qualquer coisa por cima não dá. Por isso resolvi fazer um post com algumas dicas de saídas de praia”.

Pois é. Ela poderia dizer: "investir uma grana para comprar um biquini lindão, uma saída de praia lindona e um brinco lindão e não ter um óculos lindão não dá".

Ou quem sabe: "investir uma grana para comprar um biquini lindão, uma saída de praia lindona, um brinco lindão, um óculos lindão, uma pulseira lindona e comprar um colar lindão e depois passar um protetor solar qualquer não dá".

A pessoa está sempre insatisfeita. Quando ela compra algo ela CURA momentaneamente a sua insatisfação. Depois a insatisfação volta, pois fica sempre faltando algo.

Ainda existem pessoas que acreditam que estas compras aumentam o bem estar das pessoas.

Sim, aumenta. Ela sai do lixo para fora do lixo e logo depois volta para o lixo e aí compra algo que a tira do lixo e assim por diante.

Se ela estiver satisfeita, cultivando a amizade, o amor, a boa vontade, o carinho, a gratidão, etc, ela ficará SATISFEITA.

Uma pessoa satisfeita consome menos, pois ela escolhe investir no que é o ESSENCIAL para a vida.

Esta pessoa vai comprar um biquini legal e se a saída de praia não for legal não há problemas, pois sua PRIORIDADE é a amizade, é tratar bem quem ela gosta. E quem trata bem quem gosta não precisa se exibir.

São escolhas. O Blog do Chicão alerta. Alerta as pessoas que estão invertendo o sentido da vida. Estes terão uma vida com muita insatisfação, muito vazio e muita necessidade de consumo.



.

Um comentário:

£eandro disse...

Seria bom se todos pensasse assim. Mesmo concordando com tudo isso, muitas vezes me pego vitima do consumismo.