quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

SAIBA como o Sr. Tasso Jereissati suga o Brasil

.

O senador Tasso Jereissati (PSDB/CE) se diz um lutador contra a carga tributária brasileira.

Na realidade ele ajudou a torná-la cada vez MAIOR.

Ele votou a favor de todos os projetos do governo FHC que aumentaram a carga tributária.

Com a ajuda e o esforço do senador a carga tributária brasileira ficou maior.

Maior para quem?

Maior para a classe média e os pobres.

Para o mundo onde ele vive, o mundo dos multi-milionários a carga tributária é BAIXÍSSIMA.

Acontece que os multi-milionários, além de pagar pouco imposto, querem reduzir o pouco imposto que pagam.

O Senador Jereissati é um dos donos dos Shopping Iguatemi. A empresa é uma sociedade anônima, isto quer dizer que ele é um dos principais acionistas.

Ele fica no senado ou na praia e a empresa trabalha para ele.

Depois a empresa distribui dividendos (lucros).

No caso do senador estes dividendos significam milhões de reais.

Tudo com uma alíquota ZERO de impostos.

Isto Mesmo!

Dinheiro limpinho no bolso.

Você trabalha duro e paga muito imposto.

O senador trabalha pouco e paga nada sobre os dividendos que recebe da empresa.

Uma vida de sanguessuga!

Não fica só nisto.

Durante anos, como grande empresário, ele e seus amigos multi-milionários tiveram acesso a linhas de crédito subssidiadas ou a juros bem mais baixo que o mercado.

Tudo dentro da lei. A MESMA LEI QUE ELE AJUDA A FAZER.

Isto é dinheiro público indo parar no bolso deles.

E o jatinho dele? Será que é dele mesmo? Ou será que ele faz uso político de um jatinho que está em nome de uma empresa?

Não, não é a mesma coisa.

Além do jatinho dele pagar menos impostos anual que o seu carro, se estiver em nome de uma empresa significa a empresa terá uma série de BENEFÍCIOS FISCAIS por ter um jatinho.

Isto mesmo! O jatinho dos multi-milionários dão a eles uma série de benefícios fiscais se estiverem registrado como propriedade de empresas.

É incrível!

Mas a lei é feita por eles e para benefício deles.

Sabe o porque do ódio dos multi-milionários contra a CPMF? Porque eram eles que pagavam a imensa maioria dos valores deste imposto.

Quando o senador usa o jatinho para fazer política e passear muito provavelmente você está pagando parte dos custos.

É muito impotante ficar esperto quando a imprensa e os políticos conservadores falarem em redução da carga tributária.

Normalmente eles estarão falando de métodos para os multi-milionários pagarem menos.

Leia também:

O “Bolsa Família milionária” é muito maior do que o Bolsa Família dos pobres
http://chicaodoispassos.blogspot.com/2009/09/o-bolsa-familia-milionaria-e-muito.html


O Jatinho do Tasso Jereissati está sendo esquecido
http://chicaodoispassos.blogspot.com/2009/04/o-jatinho-do-tasso-jereissati-esta.html


As empresas estrangeiras e a CPMF (a arte de empobrecer um país)
http://chicaodoispassos.blogspot.com/2008/06/as-empresas-estrangeiras-e-cpmf-arte-de.html





.

6 comentários:

Anônimo disse...

Esse sr é outro q, sob qlqr ponto de vista, tem q ser banido da vída pública ... enfurnado numa prisao comum.

Ladrao, bandido engomado, canalha!

Inté,
Murilo

ECFON disse...

“O senador Tasso Jereissati PSDB-CE, anfitrião do “almoço dos éticos”, usou R$ 469 mil da verba oficial do Senado destinada à compra de passagens aéreas para fretar jatinhos. E ele tem o seu próprio jato, um Citation, mas declarou que recorreu a fretamentos quando o seu aparelho estava indisponível. Foi obrigado a devolver o dinheiro. Para ele, não há ilegalidade. e…”

ECFON disse...

“O jornalista Hélio Fernandes, que só chama o cearense de corrupTasso, disse que desse assunto o tucano é catedrático”.

ECFON disse...

“Em junho de 1997, o SEEB/CE foi o primeiro a denunciar na imprensa as irregularidades da gestão Byron Queiroz. Na ocasião, a Folha de S.Paulo divulgou o pedido do Sindicato para que o governo federal investigasse operações do BNB que teriam beneficiado o então governador Tasso Jereissati (PSDB/CE) e o senador Sérgio Machado (PSDB/CE), então líder do PSDB no Senado. A operação teria acontecido em dezembro de 1994 quando a POTY Refrigerantes, em Natal (RN), fábrica - engarrafadora do xarope da Coca-Cola que pertencia à família Machado, foi vendida à empresa Refrescos Cearenses e TJ Participações, da família de Jereissati. O imóvel estava hipotecado pelo BNB.”

ECFON disse...

“Em Isto É nº1610, Coroné dos Zóios Azuis, o governador Tasso Jereissati é acusado de beneficiar suas empresas com dinheiro público e de repetir as mesmas práticas dos "velhos caciques cearenses". Os autores da acusação não são os políticos (segundo o redator da matéria - Francisco Alves Filho) e, sim, os auditores do Tribunal de Contas da União, que fizeram várias investidas no Banco do Nordeste do Brasil, instituição presidida por Byron Queirós, indicado por Tasso Jereissati.”

Anônimo disse...

CARO,
O TASSO VOCÊ JÁ DECIDIU ONDE MANDAR E O QUE VOCÊ VAI FAZER COM A CAMBADA DO MENSALÃO VOTAR DE NOVO NELES?